Especialidades

  • Catarata

    Catarata

    A catarata é uma opacidade do cristalino (lente natural do olho). Para pessoas que têm catarata tem a visão nublada, como se olhassem por uma janela embaçada ou enevoada. Essa visão nublada pode tornar mais difíceis tarefas como ler, dirigir um carro ou interpretar a expressão das pessoas.

  • Córnea

    Córnea

    A córnea é a parte anterior transparente e protetora dos olhos. Ela tem a função de focar a luz através da pupila para a retina, como se fosse uma lente fixa.

    CERATOCONE
    É uma alteração da curvatura da córnea, de origem desconhecida, provavelmente com herança genética.

    Causas
    Aparece na infância, aproximadamente aos 8 anos, tem caráter evolutivo mas, pode se estabilizar até os 40 anos de idade. A ceratocone pode se manifestar igualmente em homens e mulheres. Existem fatores que desencadeiam a evolução da doença em uma pessoa com predisposição. O fator principal é a alergia ocular devido a intensa coceira. Existem vários graus e tipos de ceratocone e cada um deve ser tratado de maneira diferente.

  • Estrabismo

    Estrabismo

    O Estrabismo é uma patologia oftalmológica que consiste no desalinhamento dos olhos. A maioria dos casos tem início na infância, mas também pode ocorrer durante a vida adulta. Observa-se que pacientes com estrabismo podem ter problemas psicológicos, sociais e econômicos relacionados ao desvio ocular. Mais do que nunca a sociedade dá importância à aparência, influenciando nosso comportamento e auto-estima. Neste contexto a posição dos olhos é fundamental.

    Sintomas de Estrabismo: A maioria dos pacientes estrabicos são assintomáticos. Em alguns tipos de estrabismo o paciente pode apresentar dores de cabeça, dor nos olhos e sonolência durante as tarefas visuais. A queixa de visão dupla é geralmente observada em pacientes adultos.

    Tipos de estrabismo: Existem vários tipos de estrabismo, como a esotropia ou desvio convergente (desvio dos olhos para dentro), a exotropia ou desvio divergentes (desvio dos olhos para fora) e os desvios verticais (um olho fica mais alto ou mais baixo do que o outro).

    Tratamentos de Estrabismo: Há tratamentos diferentes para os diversos tipos de estrabismo. Alguns são corrigidos com o uso de óculos, outros com uso de óculos e cirurgia de correção de estrabismo e há aqueles que são corrigidos apenas com a cirurgia de correção de estrabismo. Atualmente em alguns casos pode ser realizado o tratamento do estrabismo com toxina botulínica.

  • Glaucoma

    Glaucoma

    É o aumento da pressão intra-ocular que pode ocasionar lesão ao olho se não for tratado. A pressão intra-ocular aumentada pode comprimir os vasos sanguíneos que nutrem as sensíveis estruturas visuais do fundo do olho. Devido à falta de irrigação sanguínea, as células nervosas da retina e o nervo óptico vão morrendo provocando perda progressiva da visão e estreitamento do campo visual. Se o processo não for controlado pode levar à cegueira.

    CAUSAS
    O glaucoma é perigoso. Na maioria dos casos desenvolve-se lentamente, no decorrer de meses ou anos, sem ocasionar nenhum sintoma. O dano pode progredir com tanta lentidão que a pessoa não se dá conta da perda gradual da visão. Em geral, à visão vai piorando até que finalmente começa a afetar o próprio centro do campo visual e se estabelece a cegueira permanente.

  • Lente de Contato

    Lente de Contato

    As lentes de contato são utilizadas para a correção de diversos problemas óticos. Além dos benefícios estéticos, oferecem maior conforto e são uma opção interessante para quem não pode ser operado. Em alguns casos específicos, o uso de lentes de contato apresenta resultados mais eficientes do que o uso de óculos.

    No mercado existem inúmeras opções como: lentes de contato gelatinosas esféricas para uso diário, descartáveis, tóricas, multifocais, filtrantes, terapêuticas, coloridas, lentes de contato rígidas de todos os materiais, siliconadas, fluorcaronadas, híbridas, flexíveis etc. Por isso a escolha deve ser orientada por um oftalmologista.

    Através de uma minuciosa avaliação do estilo de vida e da fisiologia do olho do paciente é possível descobrir a lente de contato mais indicada para cada problema.

    Também é fundamental um teste de adaptação, que consiste em:
    Medição da curvatura da córnea (ceratometria);
    Ocasionalmente, é feito o mapeamento da superfície (topografia) e medida da espessura corneana (paquimetria);
    Refração inicial para determinação do grau das lentes;
    Colocação de lentes de contato de teste baseadas na refração inicial, por 10 a 20 minutos;
    Nova refração, com as lentes de contato de teste;
    Avaliação da adaptação das lentes de contato de teste com o aparelho chamado “lâmpada de fenda”;
    Modificações na adaptação com base em observações na lâmpada de fenda.

    Outras medidas importantes são as orientações para a colocação, manuseio, remoção, cuidados, período de uso e consultas de revisão. Assim, além de usufruir de uma excelente qualidade visual, o paciente também evita riscos de contaminação através de bactérias, fungos e outros tipos de problemas em virtude de uma adaptação inadequada.

  • Oftalmologia Geral

    Oftalmologia Geral

    Oftalmologia Geral é uma das especialidades da Medicina que investiga e trata as doenças relacionadas com a visão e com os olhos e seus anexos. Esta especialidade médica se dedica ao estudo e tratamento das doenças e erros de refração apresentados pelo olho.

    Assim como outras especialidades, a Oftalmologia tem várias subespecialidades, entre elas: plástica ocular, doenças orbitárias, doenças das vias lacrimais, o estrabismo, o glaucoma, a cirurgia refrativa, retina, oftalmopediatria, etc.

    O Oftalmologista é o médico que estuda, diagnostica e trata doenças do sistema visual, realiza cirurgias, prescreve tratamentos e correções para os distúrbios de visão. Esse profissional é capacitado para o tratamento médico e cirúrgico de todas as doenças oculares.

  • Oftalmopediatria

    Oftalmopediatria

    A prevenção da cegueira infantil é uma das cinco prioridades da Iniciativa Global da Organização Mundial de Saúde (OMS)/ Agência Internacional de Prevenção da Cegueira (IAPB) “Programa Visão 2020 – pelo direito à visão”.

    Estima-se que no mundo haja cerca de 1,4 milhões de crianças cegas. Em países de baixa renda a prevalência de cegueira pode ser em torno de 1,2/1.000 crianças, enquanto em países desenvolvidos esse número cai para 0,3/1.000.

    Os olhos de uma criança são diferentes dos olhos de um adulto, por isso as causas da cegueira infantil e, conseqüentemente, as medidas adotadas para a sua prevenção, devem ser diferenciadas. O sistema visual de uma criança é imaturo ao nascer, para que o seu desenvolvimento aconteça, todo e qualquer problema deve ser corrigido precocemente. As doenças oculares na infância devem ser tratadas por profissionais treinados e especializados.

    CAUSAS
    A cegueira infantil tem diversas causas, em aproximadamente 50% dos casos ela pode ser evitada. As chamadas causas evitáveis são divididas em dois grupos: preveníveis e tratáveis.

  • Plástica Ocular

    Plástica Ocular

    A Cirurgia Óculo-plástica é muito diversificada e abrange tanto a área da pálpebra como as vias lacrimais e a órbita. Existem diversas técnicas que têm como foco o respeito à integridade do globo ocular e da função visual:

    Cirurgia Reconstrutiva – tratamento de tumores;
    Cirurgia Reparadora – tratamento de feridas e as más-posições;
    Cirurgia da Ptose – tratamento para a pálpebra caída;
    Cirurgia das Retrações – faz parte do quadro de tratamento da tireóide.

  • Refrativa

    Refrativa

    É um procedimento considerado simples, que dispensa a necessidade de internação pois é feita através de um equipamento chamado Excimer Laser que utiliza uma luz ultravioleta para remodelar suavemente a superfície da córnea e modificando sua curvatura para corrigir os erros refrativos, como a Miopia, a Hipermetropia, o Astigmatismo e a Presbiopia.

  • Retina

    Retina

    A retina é uma das membranas do seguimento posterior do olho, que tem a função de transformar o estímulo luminoso em um estímulo nervoso e enviá-lo ao cérebro, para que as imagens sejam lidas. A membrana nervosa do olho é ligada desde o nervo óptico até a pupila. São dez camadas, dos quais se destacam o epitélio pigmentário que é a camada externa, e a camada sensorial, composta de foto-receptores.
    Isso quer dizer que a retina é a parte do olho responsável pela formação de imagens, ou seja, pelo sentido da visão. Sendo como uma tela para projetar as imagens enxergadas, que retém as imagens, traduzindo para o cérebro através dos impulsos elétricos enviados pelo nervo óptico ao cérebro.

Agende uma Consulta

17. 3323-6410